Dar nota para esse item
(2 votos)

História do Guaribinha

Por volta de 1920, alguns jovens Guaribenses aderindo à pratica do futebol amador, formaram um “time” (como era chamado naquela época), e o denominaram: Guaribinha Futebol Clube. O diminutivo, talvez deva ter sido à idade de seu componentes na época ou porque não havia time da categoria superior (o que chamamos hoje, titulares ou equipe principal). Nos primeiros anos de atividade, período “extra-oficial” não havia diretoria e sim apaixonados e abnegados homens, onde podemos destacar os Senhores José Fontes, Alípio de Andrade, Ítalo Politi, João Capovilla entre outros, que comandavam e organizavam as competições esportivas. Sob o comando do competente treinador Bráulio Silva, gerente da Cia Paulista de Força e Luz, o time de maior expressão e conquistas foi o do fim da década de trinta, onde destacaram-se jogadores como: Irineu de Oliveira, Domingos Grieco, Antonio Ragazzi (Toninho), Cabinho, Robertinho Grieco este último ficando para a história do Guaribinha Futebol Clube, pois alçou vôo mais alto, na posição de goleiro chegou ao ápice da carreira profissional ao defender o glorioso Fluminense F.C. onde em 1946 sagrou-se Super Campeão Carioca. Neste mesmo ano Neygmar Carvalho Silva, encabeçando novo punhado de moços tratou de organizar, ou melhor dar vida ao Guaribinha. Em 1º de maio de 1947 era fundado oficialmente, adquirindo personalidade jurídica, registrando-se e filiando-se às entidades competentes. Daí começa a historia deste Guaribinha. Seu 1º presidente oficial foi o incansável Alípio de Andrade, que tinham a seu lado companheiros como Bráulio Silva, Alexandre José de Moura e os saudosos Domingos Baldan e Francisco Marinelli. Nessa mesma época, por iniciativa destes mesmos diretores, o Guaribinha adquiriu terreno e construiu seu próprio campo de futebol. Estava plantada a semente que graças a Deus germinou. Foi o inicio da formação de seu patrimônio.

Em 1950, nova diretoria era empossada, com esse desprendido Luiz Garavello na sua presidência. Novo passo na ampliação patrimonial, adquirindo-se o prédio para sede própria. Mais alguns anos e veio o que pode se chamar de obsessão pela construção do salão de festas. Adquiriu-se então o terreno que esta sob nossos pés. Numa bela manhã de domingo de Páscoa do ano de 1958 era lançada a pedra fundamental deste gigante. Mais esforços seriam necessários como de fato foram, e aqui está, pronta concluída e entregue àsociedade Guaribense. Viu-se muitas vezes o Guaribinha de braços com uma delicada situação financeira. Oportunamente a diretoria lançou mão da colocação de apólices que se resume em um empréstimos sem juros. A idéia foi bem aceita, e colaboração espontânea. Apesar de não ter sido suficiente, ela nos foi bastante útil, além do mais contamos com a boa vontade de muita gente. Tudo o que aqui está, foi feito a base de sacrifícios. Os frutos enfim são colhidos, visto os bailes, carnavais, reveillons sempre bem sucedidos e contando com a satisfação dos associados e visitantes em noitadas de muita alegria, folia e divertimento. Mas o ponto alto onde a sociedade Guaribense participou de noites inesquecíveis, foram os bailes das debutantes, realizados por mais de uma década desfilando as mais radiantes, bonitas e simpáticas jovens quando atingiam com ansiedade seu 15 anos. A beleza, o requinte, as ornamentações artísticas do salão, as grandes orquestras, os paraninfos, os astros da televisão, apresentando as lindas garotas, serão lembrados sempre por todos os que assistiram e participaram dos maiores bailes realizados em nosso clube.

  Em 1969 sob a presidência do Sr. Gercino Grieco, e seu fiel escudeiro o inesquecível Ernesto de Angelis, na ânsia de oferecer mais opções de lazer e recreação para seus associados, a diretoria do Guaribinha F.C. com o dinheiro obtido na desapropriação do estádio “Domingos Baldan”, deu inicio ao mais arrojado empreendimento. Com esses recursos foi feita a aquisição de uma chácara bem localizada no centro da cidade, de propriedade do Sr. Arminto Frujuello. A essa altura o Guaribinha deixou de ser clube de futebol, para se tornar um clube social-recreativo. Se o estádio foi difícil, a sede social idem, a idéia de um conjunto poli-esportivo assustava. Para surpresa geral com a colaboração de seus associados e arrojo de sua diretoria, o Guaribinha no dia 14 de setembro de 1969, lançava a pedra fundamental no local adquirido, dando início a construção de três piscinas: Infantil, Média e Grande. Para alegria de todos, em menos de um ano e meio estava sendo inaugurado em 31 de janeiro de 1971, o mais rico e valioso melhoramento, considerado o maior empreendimento de lazer e recreação do nosso Clube. Daí para frente o que se viu foi um clube em contínuo processo de ascensão, modernizando-se e crescendo em todos os aspectos até os dias de hoje.

 “Ser Guaribinha”

“Ser Guaribinha é deixar a mente percorrer caminhos já palmilhados, que nos levam a encontrar fatos e figuras marcantes de nossa querida Guariba. É lembrar com saudades os embates para se construir um sonho, que não era de uma pessoa ou família em particular, mas de toda comunidade”

 Fonte “Resumo da Revista comemorativa do cinqüentenário”

 

 

voltar ao topo